9.11.10

o tempo que damos ao tempo, acaba por ser o que mais importa. em tudo o que possamos imaginar. há que esperar ou adiantar as coisas e independentemente do que achemos, nós sabemos sempre o que fazer. só que ou não nos apetece ou há coisas melhores para fazer, ou se não forem melhores, dão-nos mais prazer a fazer e, por isso, conscientemente, não fazemos o que sabemos que é realmente melhor. mas apesar de tudo, mesmo que saiba a teórica toda, eu nunca a sei aplicar. e na vida o que interessa é o que fazemos, não o que pensamos em fazer. a conclusão, ainda não a consegui encontrar.

2 comentários:

  1. As conclusões nem sempre são tão claras como deviam ser, :/

    ResponderEliminar
  2. espero que já estejas bem.
    boa noite, tiago.

    ResponderEliminar